Gestão de Enfermagem na Ortopedia e Aplicação dos Protocolos de Cirurgia Segura

O papel da enfermagem na ortopedia é intenso e importantíssimo, uma vez que envolve diversos processos de trabalho na instituição ao longo do atendimento ao paciente, que implica no acompanhando desde a sua chegada, durante todo o seu atendimento, seja ele ambulatorial ou internamento, até a sua saída ou alta da clínica.

Nossa Instituição é caracterizada como “hospital dia”, temos atendimento cirúrgico de pequeno e médio porte, onde o paciente permanece conosco por até 12 horas. Nosso objetivo é prestar um bom atendimento para que este paciente possa ganhar alta no fim do dia sem queixas álgicas ou mal estar. Todas as etapas destes processos são programadas e organizadas previamente, para que o atendimento cirúrgico ocorra de forma tranquila e segura.

O Primeiro passo é o acompanhamento do processo de agendamento cirúrgico que é feito a partir das autorizações liberadas para que possamos programar os materiais no Centro de Materiais Esterilizados (CME), confirmando e preparando os equipamentos, materiais e instrumentais necessários para cada cirurgia programada. As empresas de materiais consignados/implantes , quando necessário o uso, devem trazer as caixas com no mínimo 48h de antecedência do agendamento cirúrgico para que façamos todos os processos necessários desde a limpeza até a confirmação da esterilidade dos instrumentais através de indicadores físicos, químicos e biológicos. Todos estes processos são devidamente registrados e documentados para futura inspeção de órgãos fiscalizadores e comprovação da limpeza e esterilidade dos produtos/instrumentais utilizados. Seguimos a normatização RDC 15 de 15 de março de 2012 que rege o trabalho desenvolvido num CME assim, trazendo segurança aos nossos pacientes e a nossa instituição.

Também utilizamos e seguimos a Resolução RDC 63 de 25 de novembro de 2011 que estabelece os protocolos para a Segurança do Paciente entre outros.

Na clinica, iniciamos estes protocolos já no ato da internação pela recepcionista, com a conferência de todos os documentos e dados existentes no sistema seguido da colocação da pulseira de identificação constando os dados fundamentais de identificação do mesmo. Com este passo pronto o paciente é encaminhado ao quarto o qual também é identificado seu leito com os dados de internação (placa na beira do leito) e acrescentado informações como presença de alergias, risco de quedas e lesões de pele por pressão.

Este paciente é acomodado e confortado no leito e na sequência inicia-se o check list para Cirurgia Segura. Aqui considero a etapa mais importante onde conferimos dados fundamentais para um procedimento seguro como, marcação do membro e lateralidade a ser operado e as condições gerais do paciente. Todos estes passos são feitos pelo técnico de enfermagem e supervisionados por mim, enfermeira onde qualquer alteração ou risco diagnosticado a equipe cirúrgica e anestésica é comunicada e discutido o cancelamento ou não do procedimento.

Estando tudo de acordo, é realizado a preparação e encaminhamento do paciente ao centro cirúrgico onde este processo tem continuidade com as etapas TIME OUT (antes da incisão cirúrgica), TRANSOPERATÓRIO (durante a cirurgia) e SIGN ON (após a cirurgia, antes da alta da sala de cirurgia), este processo se resume em perguntas referente a confirmação de dados relacionados ao paciente e ao procedimento submetido para que não ocorra esquecimentos e/ou erros.

Durante o pós-operatório esse paciente é acompanhado frequentemente onde avaliamos a estabilidade dos sinais vitais, dor, sistema fisiológico e neurológico para que esteja em boas condições de alta médica. Orientações e cuidados relacionados a cirurgia são repassadas pela equipe médica e enfermagem para uma melhor recuperação no tempo necessário de cada paciente.

Durante estes 20 anos de trabalho na instituição meu foco sempre foi e será o bom andamento da rotina para um bom atendimento dos colaboradores consequentemente o sucesso do procedimento e atendimento do paciente e familiares.

 

Graduada em enfermagem pela Universidade Paranaense – UNIPAR, 2004 -2008.

Especialista em Unidade de Terapia Intensiva pela Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí – FAFIPA, 2009 – 2011.

Especialista em Gerenciamento em Enfermagem pela Faculdade Unyleya, 2017 -2019.

Expertise em Centro de Materiais Esterilizados – CME há 20 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *